Esmiúço-me...


   Esmiúço a saudade com a saudade...contando tempo...contando espaços e sobretudo sentires. Sentires meus, vividos nos teus...
     Resgato-me ao tentar resgatar-te, sabendo que és um naufrago na minha alma e muito mais no meu corpo. É como se um nevoeiro denso me impedisse de te salvar em mim...
     Vais desaparecendo...por entre os teus silêncios...mesmo escutando todos os teus berros...vais-me morrendo pouco a pouco...enquanto me matas em ti...fomos feitos para nos morrermos...

*** @rt ***

5 comentários:

  1. Está quase. Ja faltou mais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim eu sei...já faltou mais...
      mas a pressa do matar não é minha...que não falte muito ou mesmo nada para quem tem essa pressa, essa sede de matar...para que finalmente se encontre com a felicidade e com o tal amor.
      Desejo que o destino seja breve ao trazer(te) essa bandeja repleta.
      Sorte e saúde...

      Eliminar
  2. Sempre palavras cheinhas de sentimento Imperatriz.
    Se é para ir.
    Deixa ir.
    deixa morrer. Para depois viveres(viverem)

    beijito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escrevo e escreverei sempre o que sinto.
      Dizem que palavras leva-as o vento, mas estas estão presas a mim. São minhas...pertencem-me.
      Como disse em resposta ao comentário anterior. Desejo sorte e muita saúde a quem procura a felicidade. Que ela se faça encontrar o mais breve possível.

      beijo

      Eliminar
  3. Como diz o nosso amigo Inna deixar morrer,para voltar a viver,palavras tao certas que fazem tanto sentido.bjokas kerida tao bom ler te

    ResponderEliminar

Partilha-te...