"Assim tão louca...



...me beija na boca me ama no chão..."
sê terra a terra...sê sem medida...sem limite...é assim que te quero,é assim que sempre te quis...
e será assim que sempre te hei de querer...até ao sempre que for nosso...💗

*** @rt*** 

8 comentários:

  1. não gosto quando ficas demasiado "poética" :p

    ResponderEliminar
  2. :-) eu sou poética por natureza Mada, posso tirar-me a mim da poesia mas a poesia de mim é coisa impossível. A vida sem poesia para mim é banal, a poesia traz à vida aquele je ne sais quoi :-)

    ResponderEliminar
  3. és sem dúvida...mas não o sejas da saudade :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas pode lá haver alguém poético e excluir a saudade de si?!!se a saudade traz a poesia agarrada à cintura...

      Eliminar
    2. concordo que até a traga a mais das vezes agarrada à cintura...mas não como inevitável :p

      Os Significados
      Não sei como tudo começou: suponho
      que havia uma figura que depois
      se estilhaçou para formar um puzzle.
      Mas se juntarem todas as peças
      talvez não haja nenhuma figura, e então
      de que origem intacta partiu tudo
      o que depois se quebrou? É impossível
      fazer estilhaços de estilhaços sem uma
      coerência primeira, agora ausente.
      Quando todas as peças se juntam
      estaremos reduzidos ainda a uma peça
      de uma figura maior, ou essa figura
      é uma utopia pragmática, instrumental,
      que permite algum sentido ?
      Ó significados, para vós, na infância,
      tinha um caderno.

      Pedro Mexia, in "Duplo Império"

      Eliminar
    3. Obrigado pela partilhas...pelo cuidado dela aliás!
      Belo texto...coerente, propositado...coisas que devem ser pensadas...
      Eu na infância tb tive um caderno...que ainda transporto em mim...com algumas folhas rasgadas confesso, umas pelas minhas mãos outras pelo tempo, mas com isso não quero dizer que elas deixaram de existir...existem porque fazem parte de mim.
      beijo amigo

      Eliminar

Partilha-te...