Dou comigo...



Quantas vezes dou comigo,
a desenhar o teu rosto em pensamento,
a somar os nossos corpos,
quando o tempo se diminui...
Multiplico a minha vontade,
pela divisão de tudo o que nos aparta...
Sim, eu sei que a nossa matemática, nunca será certa,
que a nossa prova real provavelmente está errada,
mas que queres que faça?!se dou comigo a ter-te perto mesmo na distância,
se te sinto presente na ausência?!Serei louca?estarei louca?Não, não posso estar, porque tudo aquilo que me leva a ti é real...é sentivel , é palpável...tem cheiro, quando respiro-te nas minhas lembranças...tem sabor, quando nos meus lábios te desejo...e tem som, nas palavras que escuto no silencio das palavras que te adivinho...
Louca?não!...estou demasiado consciente da tua existência, da nossa...somos desmedidos por demais para sermos uma simples fantasia...mas se por ventura o formos...até nela seremos sempre reais!

*** @rt ***

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Então não?!
      eu sou a própria da Arquimedes...
      venham as raízes que quadradas hão de ficar!:-)

      Eliminar
  2. ergue-se possante
    com todo o vigor
    de quem quer adentrar pujante
    por entre a maciez
    da suas pétalas
    vicejantes.
    Ergue-se exuberante,
    para a máscula
    penetração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Charles, julgo ser a primeira vez que pisas as minhas areias...e por isso antes de qualquer outra coisa deixa dar-te as boas vindas!
      Agradeço as pegadas que aqui deixaste, com tamanho engenho!

      Eliminar
  3. muitas vezes dou comigo a fazer a prova dos nove

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. és um filosofo dos números querem lá ver :-)

      Eliminar
  4. escrito bonito...claramente não exequível no mundo do sentir :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Madagascar, o mundo do sentir é extremamente complexo, digam os que sentem...

      Eliminar

Partilha-te...