Deixa-me ser barro...



Contorna-me com essas tuas mãos, que sabem o valor de tudo o que pegam, que sabem que o tocar é verbo sagrado, que só conjugam aqueles que levam as palavras entre os dedos...
Deixa-me ser barro, e molda-me...molda a minha pele enquanto esculpes a minha alma...deixa-me ser obra criada por ti...sê o oleiro da minha existência...

*** @rt ***

5 comentários:

  1. Nunca tinha visualizado a coisa como oleiro.... nem a matéria prima como barro. Mas compreendo perfeitamente a plasticidade da obra de arte corporal e espiritual.
    Gosto da olaria metafórica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. David, é apenas uma das mil e uma formas de vermos o amor, o prazer...

      Eliminar
  2. Os segredos que as mãos escondem e que se revelam apenas quando...quando encontram seu universo de desejo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. assino por baixo em tudo o que aqui deixaste...

      Eliminar

Partilha-te...