Tourada...


                    A minha vida tem sido uma valente tourada...
                               tem dias em que me sinto o toureiro,
                                    mas tem outros que decididamente me sinto o touro...

*** @rt ***

6 comentários:

  1. É a beleza da vida, os dias nunca serem sempre iguais... às vezes é difícil mas ao menos não é monótono.
    Desejo a vc uma semana repleta de alegrias.

    Beijos

    http://odiariodaescrava.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. ser toureiro uma desafio de sentidos, deveres e conquistas...ser touro na sua impetuosidade, ausência de racionalidade, conquistar! Sem dúvida dicotomias indecifráveis das nossas vidas...touradas!
    Fabuloso @rt

    ResponderEliminar
  3. Quando és touro (e és sempre) gosto de te lidar a pé.

    A lide de touros a pé está dividida em três "Tercios":

    No primeiro, o "Tercio de Varas", utilizo uma capa larga e pesada, geralmente cor-de-rosa e amarela, denominada "Capote". Com o Capote, começo por avaliar a tua "bravura" com alguma segurança. De seguida incentivo-te o toiro a investir contra o "Picador" (que sou eu), personagem montado em cima de um cavalo tapado por uma forte protecção, que utiliza uma vara ("puya", em espanhol Caralho em português), cravando-a vezes sem conta em ti. Com o picador, "corrijo-te" a investida, tento tirar-te um pouco de força (por segurança) e o toureiro assim consegue avaliar novamente a bravura do animal que tem pela frente.

    No segundo, o "Tercio de Bandarilhas", faço de "Bandarilheiro" e cravo-te, a pé, dois ou três pares de bandarilhas no dorso do toiro (a chamada canzana), com o objectivo de te "acordar" (o toiro começa a cansar-se, nunca te aconteceu) para o que vem de seguida.



    No terceiro, o "Tercio de Muerte", é que se vê a conhecida arte de tourear. O toureiro (eu), apenas munido de uma leve capa encarnada (a "Muleta") e de um "estoque", toureia o enorme e perigoso animal que tem pela frente, com o objectivo de criar uma lide bela e artística. Quando o toiro estiver completamente dominado, sem qualquer resto de altivez (sacana de toiro me saíste, nunca te vi sem altivez), então chega a altura de o matar. Este é, provavelmente, o momento em que se vê claramente todo o objectivo e a razão de ser das Corridas de Toiros. Este é, também, o momento mais perigoso de toda a lide pois o toureiro chega-se muito próximo dos cornos do toiro e arrisca-se seriamente a levar uma cornada (já me aconteceu). Com o "estoque" (uma espécie de espada encurvada, foda-se aqui tiveste azar é mais um pequeno punhal), cravo-to tentando acertar directamente no coração (que tens entre pernas) (quanto menos tempo o toiro estive a sofrer com o "estoque" e mais rápido morrer, melhor é considerada a "estocada" (no meu caso tenho uma estocada de merda estou a ver, já que nunca te consigo matar, o mais que consigo é provocar-te “plusieurs petits morts »).

    Vá lá nem tudo é mau.

    ResponderEliminar
  4. amazing
    http://prolargentsizecapsule.blogspot.com

    ResponderEliminar

Partilha-te...