Em tempo de guerra...


"não se limpam armas e qualquer buraco é trincheira "


Desde que o mundo é mundo,
muitas foram as guerras travadas,
entre mortos e feridos,
também muitas vidas foram poupadas...
Ora por questões politicas,
ora em nome da religião,
matou-se e morreu-se,
sem qualquer consideração...
Sem mostrar respeito pela vida,
governantes e governados,
vêm fazendo da avareza,
o maior dos seus pecados...
Estas guerras de interesses,
deixam-nos sempre perplexos,
mas a mais velha guerra de todas,
sempre foi a guerra dos sexos...
Em que mulheres e homens,
lutam pele na pele,
procurando a vitória,
no seu inimigo fiel... 
Dá-se o corpo ao manifesto,
numa luta sempre renhida,
em que nenhuma das partes,
gosta de se dar por vencida...
Seja olhos nos olhos,
ou em investidas à retaguarda,
a estratégia é sempre feita,
com espírito de vanguarda...
Diz o ditado e bem, que em tempo de guerra,
nem as armas são limpas,
pudera não ser assim,
se as almas essas estão famintas...
Persegue-lhes a sede da vitória,
e tudo fazem para a obter,
aqui ama-se e deseja-se,
em nome do infinito prazer...
Carnes se desafiam, se provocam,
muita além da força humana,
depois de finda cada batalha,
o choro dos poros não engana...
São lágrimas que vêm da alma,
de um amor que se fez,
em batalhas consecutivas,
faz-se a guerra mais uma vez...
Que esta nunca conheça o fim,
porque a vida depende dela,
façamos a guerra amando,
morrendo e vivendo nela...

*** Ártemis ***

36 comentários:

  1. quando o adversario está de quatro não há tempo para pedoar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vacil,
      também há quem perca a guerra assim...olha o exemplo da Alemanha! (risos) só resta saber se valeu a pena!

      Eliminar
  2. Uma guerra na qual não me importo de participar!
    Há que praticar muito para estar pronta sempre que necessário!
    As armas podem não ser limpas mas um bom óleo ajuda a mante-las impecaveis :P
    Uma beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imprópria,
      Uiii se ajuda, um bom óleo trata do material e fá-lo ficar pronto para a batalha!(risos).
      Esta é sem dúvida a guerra mais justa de todas :-)
      beijo grande (sua maluca)

      Eliminar
  3. "Com mãos se faz a paz se faz a guerra.
    Com mãos tudo se faz e se desfaz.
    Com mãos se faz o poema – e são de terra.
    Com mãos se faz a guerra – e são a paz."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antunes,
      Ora ai está uma bela verdade!
      As mãos são sem margem para dúvida o centro do universo, tudo passa por elas...
      Obrigada por lembrar este poema :-)

      Eliminar
  4. Não há nada melhor do que uma boa "batalha" corpo a corpo, em que desta vez os "inimigos" além de terem um objectivo em comum, estão do mesmo lado e lutam em equipa!

    Beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nikita,
      ora nesta foto existe um que está mais a trás (risos), mas é uma questão estratégica, vesse bem...aposto que a vitória está garantida...é uma operação especial!
      Destas guerras consensuais, não à mortes nem feridos, existe sim é o reforço de uma vontade de viver!
      beijo grande e boas batalhas!

      Eliminar
  5. Em tempo de guerra ...quem tem olho é rei :)

    Beijo meu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. RUndisclosed,
      e não é que tens razão...parece definitivamente que é o caso!
      beijo

      Eliminar
  6. Dizem os historiadores que a Segunda Guerra Mundial permanece sendo o maior confronto que a humanidade viu, tanto em termos de dimensões quanto de custo de vidas. Milhões de pessoas morreram no decorrer deste conflito. A guerra envolveu praticamente todas as partes do mundo durante os anos de 1939 e 1945.
    Puro engano meus senhores. Esta guerra que a Artemis descreve poéticamente como ninguem é sem duvida o maior confronte que a humanidade viu, vê e verá... Quantas petites morts é que já ocorreram no decorrer desta guerra (santa diria eu). Mais uma vez a Artemis nos surpreende com mais este belo poema...

    Beiju

    ResponderEliminar
  7. Obrigada,
    José Hermano de Saraiva( encarnou em ti, de certeza), pelo afago ao meu poema e pela justificação que lhe deste, ao fim ao cabo fundamentaste-O.
    Falaste em maior confronto que a humanidade viu, vê e verá...bom isso já não sei lá muito bem, tendo em conta a imagem que acompanha este meu poema! Como se pode constactar a "humanidade" não está a ver grande coisa, para já está de costas e depois tem o olho tapado...eu acho que a humanidade SENTIU...SENTE e se Deus a ajudar SENTIRÁ estes confrontos maiores!(risos)
    beijo

    ResponderEliminar
  8. Ó art, nem parece teu... miuda. Então não vês que a moça é das secretas mesmo de costas e com um olho tapado, ela está virada a topar tudo... eheheheheheheeheh

    ResponderEliminar
  9. Sou uma ingénua...estes promenores tecnicos escapam-me por vezes, o que me vale é que existe gente (tu) que me parece estar bem informada sobre o assunto e que de guerras é perito!
    Grande soldado tu me saiste oh Asterix...já vi que entras nas guerras todas e sem medos!(risos).

    ResponderEliminar
  10. Entro nas guerras todas mas só com umA inimiga.

    Ando mal informado então... é que ouvi dizer que és denominada de "A Generala"... uma expert em matéria de guerras...

    eheheheh

    ResponderEliminar
  11. Sacana,
    já me denunciaste, acabo de ficar sem o disfarce! Deus queira que não vá perder a patente que tão esforçadamente me custou a obter!
    Eu sou conhecida pela "Generala sem medo"!(risos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vejo-te assim como a versão feminina do General Bonaparte que ficou ficou historicamente reconhecido pelo seu expressivo carisma e habilidade militar, contudo, além de sua habilidade política e militar esse aclamado personagem também ficou conhecido pelo seu amplo conhecimento da Arte Fodenga.

      Digamos que hoje serias o a Generala "Boaspartes" da era modena..
      (ehehehehe mata-me)

      Eliminar
    2. Bom se me vês é sinal que não estás de costas (risos), esperas uma batalha num frente a frente!
      Está guerra declara portanto, "Saraiva"! O que eu gosto disto Jesus, depois da guerra do sexo, a guerra das palavras é a que mais me empolga, dou o cu e cinco tostões para um bom duelo!
      Bom tendo em conta a tua comparação, não antevejo um final risonho para a minha pessoa, visto que o General mais famoso da história foi exilado e depois dizem as más linguas que morreu envenenado!
      Já estou a ver-me exilada eu também nos Farelhões e a ser envenenada com ovos de gaivota ou qui sa de pardela (eu disse pardela não pardala), nesse caso nem as "boaspartes" que irão salvar de certeza!

      Eliminar
  12. Generala Boaspartes se dás o cu eu rendo-me já.... (eheheheheheheheheheheeh)

    ResponderEliminar
  13. Estavas bem inspirada quando escreveste este poema.... Mas amiga, se sexo for uma batalha, quero ser uma incansável guerreira e se diante do "adversário " me encontrar rendida, de quatro, entrego-me e ainda generosamente o perdoo pelo prazer no final almejado.
    Assim tu me matas com essa imagem... oh my God! (rsrrsr) Um bj enorme amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nádia meu doce,
      estava bastante inspirada realmente, existem dias assim felizes em que as escrita flui (risos).
      Todas nós temos um espírito guerreiro em nós, e quando é preciso ele entra em acção!
      Na disputa pelo prazer somos guiados pelo instinto, e que bom que isso é!
      A imagem é brutal realmente :-) mas não te quero matar não, quero é que te sintas viva para travar as tuas batalhas!
      beijo grande amiga

      Eliminar
  14. Se todas as guerras fossem como esta, o mundo seria muito melhor ;)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quarentona,
      tens absoluta razão...se todas as guerras fossem de cama, o mundo estava salvo!
      Venham então muitas destas e esqueçamos as outras que trazem a morte abraçada e deixemos que a vida se faça nas trincheiras do Amor!

      Eliminar
  15. Ha guerras que devemos sempre participar,fossem as guerras todas assim e o Mundo estaria muito melhor de certeza ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gandalf,
      devemos ir de corpo e alma para estas batalhas, respeitando sempre o inimigo, esta é a melhor forma de garantir a vitória!
      Que o mundo se encha de soldados da paz e do amor é esse o meu desejo!
      beijo

      Eliminar
  16. No Amor e na guerra não deveria haver guerra de sexos, já que em ambas, os dois lutam pela "morte/vida" um do outro. Quanto aos buracos que sejam ocupados da melhor maneira possível, de preferência com muito despudor. :)

    Kiss on you
    Vénus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vénus,
      esta guerra não busca a paz, busca o prazer, é uma batalha feita nas trincheiras do Amor...onde acima de qualquer outra coisa se homenageia a vida e a existência de cada um!
      Bom e quanto aos buracos, foram feitos para serem tapados, e bem tapados e da melhor maneira como dizes e bem :-)
      kiss on you

      Eliminar
  17. Fantástico texto Artémis !!
    Uma guerra saudável :)

    Blue

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Blue,
      uma guerra que trás saúde agarrada à cintura :-)
      obrigada querida pelo teu apreço!
      beijo

      Eliminar
  18. Eu não entendo para quê tanta poesia nessas batalhas.
    É desembainhar espadas e partir para o corpo a corpo, tudo e profundamente em força...
    Mas isso sou eu... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Orlando,
      meu caro amigo, uma vez que é a primeira vez que tenho o prazer de o receber nesta minha praia, deixe que lhe dê as boas vindas!
      Afirma não saber o porquê de tanta poesia nestas batalhas, pois bem eu explico, eu por defeito talvez tenho a tendência de olhar o mundo pela vertente poética, não menosprezado de forma alguma todas as outras formas de o exprimir, porque todas são validas e todas são necessárias.
      Respeito obviamente a sua forma de encarrar as suas próprias guerras, cada um sabe de si, verdade?!
      eu como sou mais estratega prefiro usar de todas as armas possíveis e imagináveis para aniquilar o "inimigo" com algum requinte, garantido claro está que ele volte para a retaliação...
      Guerrilhar também é uma arte, por isso mesmo é escrava da imaginação e da criatividade...e é isto meu amigo que faz dela o que ela é...soberana em toda as suas vertentes!
      Na poesia tudo cabe...até o prazer!e a minha gosto de enche-la com tudo, até com o improvável!
      Obrigada pela sua visita...volte sempre que a vontade sua se ajustar à minha!


      Eliminar
    2. Vou voltar, claro...amei a poesia...
      Só quis chocalhar um pouco as águas...e valeu, porque assim, todos enriquecemos com a sua resposta :)))
      Maior respeito

      Eliminar
    3. Orlando,
      e chocalhou muito bem, as àguas precisam de gente que as agite, que lhes retire a inercia para as manter com a maxima pureza possível!
      Saiba que todas as vezes que por aqui o seu passo o trouxer, eu, estarei aqui para o receber com todo o respeito e amizade que lhe posso oferecer! E com um enorme sentido de gratidão pela sua visita!
      Não sei se a minha resposta enriqueceu alguem, mas uma coisa é certa a sua presença acrescenta este meu espaço!
      Por isso obrigada,
      abraço poetico...

      Eliminar
  19. Há guerras que valem a pena ser travadas e paz que deve ser evitada. Há vitórias que resultam em derrotas e quedas que têm o sabor do triunfo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. My Skin,
      Estas guerras são guerras santas...não há certezas absolutas nem tão pouco destinos certos! Luta-se pela gloria dos corpos e pela vitória das almas!
      É uma guerra interminável...e bem haja a todos os soldados que não negam fogo ao Amor!

      Eliminar

Partilha-te...