Fora de tempo...

Eu amei-te fora de tempo,
sem data e sem horário,
dias úteis ou em feriados,
o meu amor por ti foi o meu calendário...

Amei-te sem pressa,

porque te julguei para sempre meu,
mas nem o sempre foi nosso,
nem tu alguma vez foste meu...

Amei-te sem salvação ou remédio,
porque não soube viver de outro jeito,
eu contava a tua ausência,
pelo relógio que me batia no peito...




 *** Ártemis ***

Declamo-te...
 

5 comentários:

  1. É sempre esse relógio que raramente atrasa, mas por vezes se adianta.
    Que marca a hora da esperança em cada compasso de espera..

    ResponderEliminar
  2. Mas o amar também é isso ... ;)

    Gostei muito, .... Em especial o amar fora do tempo :)

    ResponderEliminar
  3. Inexorável.
    Tic-Tac hipnótico que nos define... para o Bem ou para o Mal.

    ResponderEliminar
  4. Ola tudo bem? Belo blog, belos poemas, parabens e continua sempre assim,

    ResponderEliminar

Partilha-te...

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.