No banco de trás...

perdidos no meio do nada
a vontade destravada
leva dos corpos a razão,
bocas murmuram desejos
que se engolem em beijos
alimentando a atração,
respirações ofegantes
embaciam os amantes
entregues à sedução...
estende-se o prazer
sem se quer entender
do que fala o coração...
nesse banco de trás
de tudo se é capaz
para saciar a tesão...


*** Ártemis ***

1 comentário:

  1. Você consegue virar tudo em poesia até as coisas mais improváveis, é essa sua capacidade que me espanta e me faz ser escrava de sua escrita!

    beijo pra você que é metade mulher...metade Deusa!

    ResponderEliminar

Partilha-te...

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.