Sempre que...


..tiveres a elegância de me mandar foder,
pois bem que seja para foder contigo...
caso contrário poupa-te nas palavras,
já que não há intenções...

*** @rt ***

Esmiúço-me...


   Esmiúço a saudade com a saudade...contando tempo...contando espaços e sobretudo sentires. Sentires meus, vividos nos teus...
     Resgato-me ao tentar resgatar-te, sabendo que és um naufrago na minha alma e muito mais no meu corpo. É como se um nevoeiro denso me impedisse de te salvar em mim...
     Vais desaparecendo...por entre os teus silêncios...mesmo escutando todos os teus berros...vais-me morrendo pouco a pouco...enquanto me matas em ti...fomos feitos para nos morrermos...

*** @rt ***

Fiz-te...


Fiz dos teus braços a minha casa...quando talvez devesse ter sido toda a vida uma sem abrigo...mas fiz-te...fiz-te meu, quando nunca devesse ter sido tua...mas fui. 
Fiz-te e refiz-te porque te quis fazer...e fiz do jeito que o corpo e alma me ditou...sem limites do sentir e num sentir sem limites...fiz-te pele na minha pele...boca na minha boca...como se o fazer fosse verbo sem tempo para conjugar...
Fiz-te amor...quando amor te fiz...

*** @rt ***

Um pouco mais...


   Não sou muito de grandes manifestos afectivos...talvez porque sempre achei que me desprotegia, que me fragilizava...e sempre precisei ser forte...escolhi sempre a dedo aqueles a quem me dei, e aqueles que verdadeiramente quis que me olhassem bem dentro dos olhos...não que me envergonhe do que aqui vai dentro, bem pelo contrário, mas sou assim...não me dou a todos, embora possa receber todos na minha vida sem descriminações. Aceito os que vêm e os que chegam com o respeito que todos me merecem, mas ficar...permanecer...conhecer a minha essência, não, porque sei o quanto mundo pode ser cruel para pessoas como eu...que sentem tudo de uma forma muito intensa...e eu sinto...talvez lamentavelmente sinto. 
   Hoje eu que nada sou de afectos, nem de pieguices como se por ai diz, queria aquele abraço sincero e desinteressando, que vem tão cheio, que nos enche...que vem tão gigante que nos engole...
   Sinto que de alguma forma não pertenço a este mundo de ninguém...
Existem dias assim...em que a minha tristeza ou o meu desalento é maior que eu...e eu não sou propriamente pequena...embora por vezes me sinta ou me fazem sentir...embora ninguém fique a saber disso...

*** @rt ***

Só para que saibas...


hoje se te apanhasse de jeito, dava-te umas trancadas valentes...porquê?
porque me apetece...lembrar-te de tudo o que de melhor sei fazer contigo...

***@rt***